sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Design: cartão de visitas

Como fazer um bom cartão de visitas?

Existem por aí uma dezena de ferramentas online para auxiliar qualquer pessoa interessada a fazer seu próprio cartão de visitas, alguns “profissionais ” de gráficas rápidas até fazem na hora. Mas cuidado! Eu não recomendo este tipo de serviço porque o cartão de visitas não é só um pedaço de papel que contem seus dados.

O cartão é um instrumento para que o cliente se lembre de você. O empreendedor tem que, de alguma forma, impactar o cliente, deixar uma marca e ser lembrado. Com um cartão atraente, que reflita a missão da empresa e que ajude a identificá-la rapidamente, isso pode ser muito mais fácil. Não deixe esta chance de conquistar um cliente passar em branco.
Cartão de visitas

O cartão precisa transparecer a mesma identidade visual adotada pela empresa, seguir o que foi criado para ela. E não é qualquer sobrinho, qualquer pessoa que aprendeu a usar as ferramentas E programas de design, que vai conseguir passar todos estes conceitos ao pequeno pedacinho de papel de maneira sóbria e, principalmente, de maneira objetiva e eficaz.

Criar um cartão de visita é mais simples do que você pensa, mas na hora de fazer ou encomendar os cartões, é necessário levar em conta que este não é um espaço de publicidade. Ele é pessoal e deve conter apenas: logotipo; nome; cargo – ou função ou área de atuação –; e contatos – telefone, fax, endereço e e-mail. 

Vejamos estes cartões:

Não se pode confundir o cartão de visitas com um panfleto. A função do cartão de visitas é informar dados da maneira mais simples e objetiva possível. Ele precisa ter pregnância e o excesso de informação gera confusão na cabeça do receptor (pessoa que recebe o cartão), desvia a atenção e por fim, faz com que ele não se lembre do seu cartão.

O formato do cartão também deve ser coerente. Existem diversos tamanhos e formatos de cartões, mas deve-se levar em conta, por exemplo, que displays de cartões tem tamanho padrão (85 a 90 mm x 50 a 55 mm) e que, se o cartão for menor do que estas medidas poderá cair ou se for maior do que isso poderá ser descartado por não poder ser armazenado.

Se a empresa é bastante descolada, um cartão de visitas muito tradicional pode não combinar. Pode-se inovar na impressão do anteparo desde papéis lisos, papéis com textura ou plástico; pode-se aplicar verniz fosco, com brilho e com relevo; utilizar dobras e formatos inusitados; enfim, são muitas as possibilidades. Contudo, mais do que ser criativo, o cartão precisa identificar a empresa. Por isso mesmo deve-se pensar em que tipo de imagem você gostaria de transmitir com o cartão de visitas. 

Cartões com formatos variados e interativos são muito bem vistos pelos clientes. Eles chamam a atenção e marcam presença para o cliente, a pregnância é certa! É claro que não sai tão barato quanto uma impressão em couchet, mas fica a dica.
      

Vejamos estes cartões:

Os cartões são bonitos? São. O design é objetivo? É. Atende o requisito de transparecer a imagem da empresa? Não. Os cartões são muito bonitos mas não são condizentes com o que cada profissional faz. Se, por exemplo, trocássemos as artes, os vetores representariam os fios de cabelo, as partes mais escuras os bulbos e etc. Já no segundo cartão, teríamos a ideia que se trata de um tapete estilizado com uma mesa vistos de cima, ou um papel de parede etc. Lembrando novamente: o cartão precisa transparecer a mesma identidade visual adotada pela empresa e estar relacionado com o que a empresa faz. É preciso ter cuidado para que o cartão não seja apenas bonito mas também funcional.

Fiz um resumo de algumas dicas realmente eficazes:
  1. Se quiser ser especialmente lembrado, no momento da entrega do cartão, anote alguma informação relevante sobre o tema da conversa – as experiências demonstram que este gesto simples reduz em muito o índice de o cartão ser descartado imediatamente após a conversação, e também aumenta o recall posteriormente.
  2. A impressão deve ser profissional. Imprima na gráfica. Ninguém com mais de 13 anos deve usar cartões impressos em casa, a não ser que seja um profissional do design e que saiba exatamente o que está fazendo. Aqueles formulários para impressão de cartão de visitas que estão à venda na papelaria não devem ser usados para basear a primeira impressão profissional que você quer causar.
  3. Consulte um profissional. Um designer profissional conhece e percebe detalhes que os leigos nem imaginam – além de estarem aptos a impedir você de praticar pecados capitais, como usar várias fontes e cores de texto diferentes, pouco contraste ou imagens que chamem mais atenção que seu nome.
  4. Use formatos padronizados. Você sabia que existe uma norma ISO para as dimensões de cartões de identificação? É a ISO 7810, e ela define 3 formatos básicos, dos quais o ID-1 é o mais freqüentemente usado para cartões de visita. Toda pasta, fichário e scanner de cartões de visitas leva em conta estes formatos, e você não vai querer que seu cartão não possa ser armazenado ou scanneado. Claro que você pode inovar mas, deve levar em conta o público alvo e o que eles costumam fazer com os cartões.
  5. Inclua todas as informações básicas. Seu cartão deve incluir seu nome completo, ou na forma pela qual você é conhecido no mercado em que atua. Ele deve trazer o nome da sua organização; seu cargo – ou função que desempenha na instituilção ou área de atuação; o endereço físico – se houver –; telefone corporativo ou celular; fax se for o caso; o e-mail e a URLse for o caso; o logotipo (apenas se o negócio possuir um “de verdade” – nada de incluir uma imagem de clip art!; frase ou slogan descrevendo sua atividade ou seu diferencial – não use frases de outros cartões e nem jargões, pode não colocar nada disso também. Considere com cuidado se deseja ir além disso, mas não corra o risco de um contato não conseguir encontrá-lo, mesmo tendo o seu cartão, porque você não colocou informações suficientes. E imprima todas as informações importantes na mesma face do cartão, caso contrário uma parte delas perderá a efetividade no momento em que o cartão for arquivado em uma pasta ou quando for scanneado.
  6. Seja diferente, mas sem exagerar. Se você tiver interesse e o orçamento para isso, pode ser bastante criativo sem sair do formato comum. Para isso use uma cor de fundo – para se ter o branco no design não necessariamente precisa-se da cor branca; imprima em plástico rígido ou um material emborrachado ou use um papel de espessura e textura diferentes, existem vários tipos de papel além do couchet; inclua aplicação de verniz liso ou texturizado; use o relevo seco ou coloque uma mensagem em Braille – mesmo que ninguém nunca a leia, todos se lembrarão de você, pois as pessoas gostam tocar, pegar, sentir e acabam criando uma memória desta sensação relacionando-a ao seu cartão; arredonde os cantos do cartão – a duração do cartão melhora muito e facilita o entrar e sair da carteira e do display; imprima em mini-CDs… As possibilidades são infinitas, mas neste caso vale muito a pena seguir com atenção a dica número 3.
  7. Saiba quando imprimir pequenas quantidades de cartões especiais. Vai palestrar em um evento importante? Que tal imprimir uma série limitada de cartões de visita especialmente para a ocasião, usando o mesmo tema visual dos seus slides, e colocando no verso o tópico principal da sua apresentação? Ninguém que você conhecer lá vai esquecer de você.
  8. Verifique, e depois verifique de novo, se tudo está escrito certo. Entregue para mais alguém verificar, também. Confira cada número, cada vírgula, cada acento. E se alguma das informações mudar, imprima novos cartões imediatamente e fiscalize novamente – nada de corrigir com caneta qualquer dado!
  9. Menos é mais. Nada de usar várias fontes diferentes, imagens intrincadas, todas as cores do arco-íris ou incluir um calendário (ou a tabela da copa do mundo, como eu já vi) no verso do cartão. Simplicidade é a chave, e idealmente deve haver espaço sobrando para que alguém possa fazer anotações no seu cartão sobre a conversa que teve com você.
  10. Dê destaque para seu nome. O único elemento do cartão que pode ser mais visível do que o seu nome é o logotipo da empresa.
  11. Cuide bem de seus cartões. Leve-os em um estojo rígido. É fácil encontrar porta-cartões de visita em qualquer papelaria.

Por fim, é importante lembrar que o cartão de visitas é mais uma peça da identidade visual e que não adianta só trabalhar o cartão. O escritório, o e-mail e o atendimento têm que ser coerentes.